SALVADOR 01 728 x 90

Vacina da AstraZeneca é segura e eficaz, recomendou painel da OMS

A produ√ß√£o estimada √© de 200 milh√Ķes de doses por m√™s at√© abril.

Por Agência Brasil em 11/02/2021 às 12:08:39
Vacina Oxford - AstraZeneca

Vacina Oxford - AstraZeneca

A AstraZeneca espera produzir mais de 100 milh√Ķes de doses de sua vacina contra a covid-19 - desenvolvida em conjunto com a Universidade de Oxford - neste m√™s e elevar a capacidade para mais de 200 milh√Ķes de doses por m√™s até abril, disse o presidente executivo da farmac√™utica, Pascal Soriot, nesta quinta-feira (11).

De acordo com a matéria da Ag√™ncia Brasil, o chefe de Pesquisa e Desenvolvimento Biofarmac√™utico da companhia, Mene Pangalos, afirmou que a empresa espera os dados dos testes em est√°gio avan√ßado de sua vacina nos Estados Unidos, antes do final de mar√ßo.

Uma leitura dos dados está somente "semanas distante", disse ele em teleconferência depois da divulgação dos resultados da companhia em 2020.

OMS

A vacina da AstraZeneca é segura e eficaz e deve ser amplamente implantada, inclusive em pa√≠ses onde a variante sul-africana do coronav√≠rus talvez reduza sua efic√°cia, recomendou um painel da Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde (OMS) nessa quarta-feira.

Em recomenda√ß√Ķes provisórias sobre a vacina, o painel do Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em Imuniza√ß√£o disse que a vacina deve ser administrada em duas doses, com um intervalo de cerca de 8 a 12 semanas entre a primeira e a segunda, e também deve ser utilizada em pessoas com 65 anos ou mais.

Mesmo em pa√≠ses como a África do Sul, onde foram levantadas quest√Ķes sobre a efic√°cia da vacina da AstraZeneca contra uma variante do coronav√≠rus SARS-CoV-2, "n√£o h√° raz√£o para n√£o recomendar seu uso", afirmou o presidente do grupo da OMS, Alejandro Cravioto, em entrevista.

"Fizemos uma recomendação de que mesmo que haja uma redução na possibilidade de essa vacina ter um impacto total em sua capacidade de proteção, principalmente contra doenças graves, não há razão para não recomendar seu uso mesmo em países que têm circulação da variante", disse ele.

A África do Sul interrompeu esta semana a vacina√ß√£o com o imunizante da AstraZeneca, depois que dados de um pequeno ensaio mostraram que ela n√£o protegia contra doen√ßas leves a moderadas da variante 501Y.V2 do coronav√≠rus, atualmente predominante no pa√≠s.

A OMS disse que essas conclus√Ķes preliminares "destacam a necessidade urgente de uma abordagem coordenada para vigil√Ęncia e avalia√ß√£o de variantes" e seu impacto na efic√°cia da vacina.

"A OMS continuar√° monitorando a situa√ß√£o e à medida que novos dados forem disponibilizados, as recomenda√ß√Ķes ser√£o atualizadas de acordo", acrescentou.

* Reportagem adicional de Stephanie Nebehay, John Miller e Kate Kelland

Fonte: Agência Brasil

Comunicar erro
PagSeguro 02 728 x 90

Coment√°rios

Isael Barros