Pesquisa Lauro Hoje

MP recomenda retomada de circulação de 100% da frota de transporte público coletivo em Salvador

A Secretaria de Mobilidade deve comunicar ao MP as providências adotadas no prazo de 48 horas

Por Jorge Matos em 20/09/2020 às 18:30:39
Foto: Divulgação/Íntegra

Foto: Divulgação/Íntegra

O Ministério Público estadual recomendou no final de semana ao secretário municipal de Mobilidade, Fábio Mota, que determine a retomada imediata de 100% da frota de transporte público coletivo em Salvador. Além disso, a Secretaria de Mobilidade deve comunicar ao MP as providências adotadas no prazo de 48 horas. "É necessário o estabelecimento de medidas efetivas que evitem a ocorrência de aglomerações nos terminais de ônibus e dentro dos veículos que compõem o sistema de transporte coletivo em Salvador", destacaram os promotores de Justiça Adriano Assis e Rita Tourinho, autores da recomendação.

Eles complementaram que, diante da ativação gradual da terceira fase de retomada econômica no Município, com a publicação do Decreto nº 32.769 (que autorizou o funcionamento e definiu o protocolo para as atividades dos clubes sociais, recreativos e esportivos), tornou-se imprescindível a readequação da frota de ônibus. "Levamos em consideração a Orientação Técnica nº 320/2020, emitida pelo Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde do MP (Cesau), onde consta que "diante das evidências da necessidade de manutenção de distanciamento entre os passageiros dos transportes urbanos coletivos e considerando que historicamente o município de Salvador apresenta superlotação dos transportes, especialmente em horários de pico, é fundamental que haja oferta suficiente de veículos de forma a reduzir o quantitativo de passageiros por transporte, bem como nos terminais, atendendo às necessidades da população com o menor risco possível de disseminação do coronavírus".

Outro lado

Na sexta-feira, o prefeito ACM Neto informou que o aumento da frota de ônibus é considerado uma tarefa difícil, já que envolve questões financeiras. Neto também afirmou que a prefeitura já contribui com a compra do óleo diesel e com o pagamento dos rodoviários para evitar demissões e a paralisação do serviço.

Eu estou em negociação, estamos fechando número, mas os números iniciais apontam uma necessidade – e eu vou falar aqui de um número que não está fechado – de R$ 30 milhões, que a prefeitura vai ter que aportar no sistema em duas bacias, porque a terceira nós já estamos bancando, estamos pagando. Nós estamos comprando óleo diesel, nós estamos pagando rodoviários para não ter demissão de rodoviário e paralisação de ônibus na cidade. Mais do que isso, é impossível".

Atualmente, os ônibus da capital baiana circulam com até 80% da frota, com cerca de 1.700 ônibus, por causa da pandemia do novo coronavírus. A quantidade de passageiros fica em média 600 mil por dia, o que representa 50% do que era antes da pandemia.


Fonte: Milena Miranda - Ministério Público da Bahia

LauroZap Fullbanner

Comentários